27 dezembro 2008


Cláudio...

Estou escrevendo porque fiquei muito abalada com nosso último encontro. Não imaginei que você fosse estar na casa do Lauro naquela noite. Desculpe pelas minhas atitudes, mas ainda está sendo muito difícil pra mim, digerir o término com o Felipe. Eu sei que as coisas são difíceis também pra você, não subestimo seu sentimento, e, pode acreditar, eu gosto muito de você. Quando digo que com você foi diferente dos outros, eu realmente estou sendo sincera. Foi difícil passar por todo o relacionamento com o Gabriel tendo tanto contato entre nós. Por isso quero pedir que não nos vejamos mais. Sempre que nos encontramos a situação fica complicada. Quero essa distancia não por mim, mas por nós dois. Agora é hora de encontrar alguém que me faça bem pra fazer a vida seguir. Durante os meses que passei com o Rodrigo foi muito difícil ficar sem te ver, mas, em compensação, enquanto estava com o Juliano os nossos encontros atrapalhavam tudo, e eu ficava perturbadíssima. Precisamos colocar as nossas vidas nos trilhos para que um dia possamos ter uma relação tão boa quanto merecemos. Esse momento é necessário, tudo até agora foi tão complicado. O Diego, por exemplo, não podia escutar seu nome, ele sabia a força que você tinha dentro da minha cabeça. Essa força realmente existe, mas precisamos colocá-la no lugar certo. Não quero também que você pense que quando terminei com o Zé eu estava te dando alguma esperança, não fique criando coisas que possam depois nos dolorir, assim como aconteceu na época da historia com o Mauricio, que nos machucou bastante. Aliás, o seu ciúme pelo meu primo era completamente fora de controle, não que não fizesse sentido. Foi difícil com o Pedro e com o Caio também. Meu namoro com o Estevão foi ficando inviável, com o Sandro era a mesma coisa. O Leonardo me odeia por causa disso... E eu passei a odiar o Bruno. O Japão foi morar em Portugal por sua causa! Você bagunçou a minha vida inteira! Não quero mais você por perto, não posso mais me permitir ser manipulada pelas suas palavras inteligentes e sensíveis. Você é um cretino, Cláudio. O que eu mais sinto por você hoje em dia é raiva. Seu desequilibrado! Não quero mais você ligando pra minha casa e preciso te pedir que não passe aqui por perto, já que é tão fora do seu caminho do trabalho. Se você vir meu irmão na rua, por favor, passe direto, ele não merece te encontrar e ser seduzido pelo seu papo fácil. E é bom você ficar sabendo que desde o rompimento com o Santiago minha família anda sempre acompanhada de seguranças discretos. Se você fizer alguma coisa errada, ou fora dos padrões dos meus pedidos, você pode acabar se machucando gravemente. Por isso, cuidado! Não quero que você se machuque. Eu sei que às vezes me complico e não demonstro as coisas claramente, como você gostaria, mas eu sinto muito carinho por você. Eu te amo muito. Eu te amo tanto... Eu sou completamente apaixonada por você, nunca consegui te esquecer, nem durante o meu casamento com o Augusto Carlos. Eu sou louca por você, pelo amor de Deus esquece o passado e volta pra mim. Preciso da sua companhia e do seu cafuné. Não consigo viver sem o seu sexo e sem o seu olhar de psicopata, eu não sei ficar longe de você! Claudio, por favor, me perdoa! Te peço, com todas as minhas forças, que tenha paciência e que leia esta carta até me entender. Seria bom se a partir de agora as coisas ficassem assim.

Um beijo,
Memezinha.

5 comentários:

George disse...

Caralho...
Que maravilha.

Pedro disse...

eu mesmo só entendi ontem...
deu um tchan!

Karin disse...

Incrível.. e, não que eu me orgulhe disso, mas confesso que me identifiquei um pouco... essa tal confusão.....

Gabi Giffoni disse...

que genial, cara, que genial...

Viviane Falcão disse...

sei lá o que dizer disso!
dessa vez vou mandar só um "sou sua fã"