09 junho 2009

TEM GENTE que chama ISSO de SÍNDROME do pânico

Se apaixona por mim e vai embora.
Me seduz, me deixa doido e vai embora.
Sente um medo surpreendente
Da paixão surpreendente
E se desliga, e vai embora.

Não sorri, nem diz nada nem chora,
Só some do nada, só vai embora.
Quanto mais não se entende, mais se ama,
Quanto mais se ama, mais se desespera
E mais se vai embora e vai embora e some.

Tem gente que chama isso de síndrome do pânico.

Não vai, não. Quanto mais embora se vai,
Mais do embora se volta. E volta sempre!
Eu sei que só se vai porque se sabe que volta,
Sabe-se até que na volta se volta amando.
Sempre que alguém volta, volta amando muito.

Eu prometo que não vou embora.
Já que na volta se volta amando tanto,
Se cada vez que se vai embora o desespero piora
E o que não se entende não melhora,
Eu realmente não posso ir embora.

Eu vou ficar aqui sentado.

11 comentários:

Cris Chevriet disse...

AMEI, COMO SEMPRE!!! BEIJO!!!

Andrè Dale disse...

crissss!

Betina disse...

é, e eu como sempre volto AMANDO!

fazia um tempo que não vinha por aqui, tava fazendo falta...

Andrè Dale disse...

oba! bebeth vambora!

Cris Chevriet disse...

Apareça aqui em casa vc faz falta neste lar...beijos!!!

Isabella disse...

maldita síndrome do pânico!
eu que o diga...

Cris Chevriet disse...

tenho que comentar com vc este ultimo verso, apesar do poema, todo ele ser cheio de detalhes incriveis, este ultimo verso, dá varias interpretações e belezas,,,traga a cerveja!!!rs

Andrè Dale disse...

Com certeza!

Bru Brig. disse...

Comentário!

cris braga disse...

Nossa André, sentimento de quem já viveu muito e amou muito. E vc é tão jovem! Só pode ser muitas encarnações...rsrsrs...li e reli...amei. Copiei e salvei nas minhas poesias preferidas e enviei para todas as minhas amigas e amigos, mencionando o seu blog. Sou fã!!!!beijão

Andrè Dale disse...

nossa! eu sabia que essa presença seria especial...