14 janeiro 2009


devagarinho

Disseram que o homem sábio sabe ver coisas bonitas sem querer que sejam suas. Disseram que ele sabe merecer o que ele mais precisa ter e até, que às vezes não precisa de nada. Só sorri se a vontade vem. Não precisa sentir culpa pra sentir inveja. Quando quer toma aspirina e quando quer raspa o cabelo, e com tudo que ele não precisa ele gasta dinheiro. Decidiu não mais questionar se a vida está boa se o dia é ruim. E, mesmo com pressa, aprendeu a andar na rua devagarinho. Faz dois anos que ele resolveu parar de se apaixonar, por isso faz canto as terças, quintas e sextas, e não se apaixona sempre que dá.

4 comentários:

Betina disse...

seus textos dão vontade de se apaixonar, sabia?

Fabio Parente disse...

maravilhoso, apaixonante, quase que sempre dá.

Andrè disse...

Que loucura!

Gabi Giffoni disse...

Não que eu seja sábia, mas isso aqui da vontade de comentar, quem sabe ler de novo e sair por ai pra se apaixonar...