09 agosto 2008


Qualquer merda me dá angústia. Hoje em dia... Nos dias de hoje, qualquer merda me angustia. To ficando puto. Eu não gosto da angústia, mas acho que a filha da puta gosta muito de mim. Arriscaria dizer que ela me ama. A filha da puta. Se fosse outra pelo menos... Mas logo a angústia. Se fosse a raiva eu acho que eu seria mais feliz. Seria raivoso. Acho que, do jeito que eu sou angustiado, eu seria bem raivoso! Mas seria feliz. Angústia não é relacionada a nada bom. Eu preferia ser canhoto do que ser angustiado. Por que, por mais escroto que a gente ache, quem é canhoto gosta de ser canhoto. Todo mundo sabe que é uma merda ser angustiado. Mas quem tem angústia não gosta de ter angústia. Nunca escutei nem um comentário bom. Ninguém nunca me disse – adoro essa sua angústia de viver! Nunca soube de ninguém que tenha relacionado essa desgraça a inteligência. Nunca alguém falou – os grandes pensadores e revolucionários eram todos dotados de muita angústia. Nunca. Ou, se falou, falou baixo.

To escutando Caetano. Me angustia. Mas, continuando...

Quando alguém falou de angústia, falou mal. Se é que alguém fala de angústia, quem não tem não lembra. Só escuto sobre angústia quando falam mal de mim – nossa, como você é angustiado. Eu sei! Eu já notei antes de você me dizer! Peguei você! Bando de idiota. Bando de desangustiado.

O Caetano é incrível, a gente se emociona. Mas angustia horrores. Enfim...

Detesto quem não tem angústia.

“Soy loco por ti América” ·

Que merda, né? Eu não gosto de quem não gosta da minha angústia... Eu não gosto de mim por que tenho angústia... Poucas pessoas não ligam pra minha angústia... Ninguém gosta. Ninguém gosta dela! Ninguém no mundo gosta dessa merda de sentimento. Se é que se pode chamar de sentimento. Angústia. Que merda é essa?

“Soy loco por ti de amores”.

Angústia... Vou perguntar pro Caetano.

4 comentários:

Leo Arnt disse...

mmm
adorei esse!
mais que isso... mesmo nao sendo novidade, eu me identifiquei um bocado!

Andrè disse...

Tá ligado que isso foi escrito em 1932 né?

Cris Chevriet disse...

acho que tem um inicio de rascunho aqui em casa e me lembro de ter comentado com vc que adorei...bem sou canhota e gosto muito e a angustia conheço bem, é dose mesmo!!! Bem, o que salva é que dá bons caldos e se juntar com um pouquinho de humor até que fica gostoso. Certamente é cansativo, como um Dom ao contrário. Só pra vc ter uma outra visão: o angustiado é canhoto na alma. É uma questão de se adaptar - ou não... - como diria Caetano. Beijo!

Andrè disse...

Adorei Cris!